Os nossos cinco melhores

Para quebrar a minha habitual rotina de reverência aos mestres da Magnum, partilho aqui um TOP 5 dos fotógrafos portugueses contemporâneos que mais admiro (sem ordem de preferência):

Rodrigo Amado

© Rodrigo Amado

“Para ter um trabalho interessante um artista tem de ter uma vida interessante”.
Apesar de não concordar completamente com esta conhecida frase (tenho por princípio aversão a qualquer chavão absolutista), julgo ser possível encaixá-la no trabalho de Rodrigo Amado. Com uma dupla carreira de fotógrafo e saxofonista de jazz, as suas fotografias parecem crónicas de um quotidiano invulgar. Uma das coisas que mais admiro no seu trabalho é conseguir fazer algo muito difícil: imagens aparentemente aleatórias e disconexas que resultam num conjunto surpreendentemente coerente.

© Rodrigo Amado

© Rodrigo Amado

Para ver mais: www.rodrigoamado.com

_____________

Daniel Blaufuks

“Unfinished Story” © Daniel Blaufuks

Se existe uma diferença entre fotógrafo e artista plástico que usa a fotografia como meio de expressão, Daniel Blaufuks caminha perigosamente na fronteira entre estes dois géneros. Por entre diversos trabalhos de carácter algo hiperconceptual e/ou experimental (que, confesso, me deixam indiferente), existem projectos como “Hiato“, “Motel” ou “Collected Short Stories” de carácter claramente fotográfico. Gosto particularmente de “Collected Short Stories”, fico sempre fascinado com o tom cinematográfico e misterioso destes dípticos.

“September Story” © Daniel Blaufuks

“Banal Story” © Daniel Blaufuks

Apesar do site estar algo confuso, deixo-vos o endereço para descobrirem mais sobre este autor: www.danielblaufuks.com

____________

Augusto Brázio

© Augusto Brázio

Dada a natureza da profissão, é difícil desenvolver um cunho autoral no fotojornalismo.
A diversidade de temas a tratar ou o escrutínio ao tratamento das fotografias (excesso de Photoshop) são dois factores que dificultam a afirmação ou reconhecimento de um fotojornalista como autor.
Mas basta ver o trabalho de Augusto Brázio para perceber que é possível fazer fotojornalismo fora do formato “standard”; com fotografias de uma qualidade técnica e artística acima da média, que tanto podem servir o propósito de ilustrar um artigo como figurar numa galeria de arte.

© Augusto Brázio

© Augusto Brázio

No site da Kameraphoto (colectivo a que este fotógrafo pertence) podem ver mais sobre este autor: www.kameraphoto.com

__________

Paulo Catrica

© Paulo Catrica

Creio que existe um acumular e conjugar de influências na génese de qualquer artista, o que torna natural e inevitável tecer comparações entre autores. Ao dizer que Paulo Catrica é o Mark Power português estou a demonstrar uma grande admiração pelo seu trabalho, afinal de contas Mark Power pertence ao meu TOP 10 de fotógrafos favoritos a nível mundial (ou até TOP 5, dependendo do dia). A associação que faço entre estes dois autores é potenciada pelo livro “Trilogia“, um dos livros de fotografia portugueses que mais gosto (e que recomendo a todos procurarem), que mostra Évora pelos olhos de Mark Power, Paulo Catrica e José M. Rodrigues.

© Paulo Catrica

© Paulo Catrica

Ao que parece, de momento o site de Paulo Catrica não está online, pelo que, para já, será necessário recorrer a motores de busca para conhecer melhor o seu trabalho. É uma pena, lembro-me de o visitar há uns tempos e ter gostado bastante do que vi por lá.

________

Rui Palha

© Rui Palha

Ao fotografar em cidades de forte afluência turística, existe sempre um grande risco de cair em lugares comuns. Mas Rui Palha consegue a proeza de tornar interessante qualquer local hiper-fotografado (o que, pensando bem, talvez até confira um interesse extra às suas fotografias).
Rui Palha é um fotógrafo de rua por excelência. Usa de forma exemplar as técnicas clássicas de contrastes de luz e linhas de força em fotos a preto-e-branco de alto efeito dramático.
Julgo que esta solidez técnica é, em parte, um dos factores que leva o trabalho deste autor a ter um forte alcance popular. É como se espelhasse a imagem que o imaginário colectivo tem da fotografia. Junte-se à técnica uma melancolia (tão portuguesa) inerente às imagens e a eficácia emotiva é garantida.

© Rui Palha

© Rui Palha

Este fotógrafo tem uma forte presença em  várias galerias online, mas recomendo-vos a visita ao site oficial onde a selecção e organização de fotografias é bastante mais sólida: www.ruipalha.com

 

Certamente que, para muitos, este meu TOP 5 é composto pelos suspeitos do costume, mas este é um risco que vale a pena correr tendo em conta que existe também a hipótese de dar a conhecer alguns destes autores. Nesta selecção, limitei-me a escolher fotógrafos já com uma carreira bem estabelecida, digo isto porque começam a surgir alguns novos talentos bastante interessantes, algo que poderá ser assunto para outra lista de favoritos.

---

Sobre contextofotografico

Falar a apreciar fotografia em português.
Esta entrada foi publicada em fotógrafos portugueses com as etiquetas , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s